O Vício da Busca de Aprovação - Igreja Batista de Campos Eliseos
70
post-template-default,single,single-post,postid-70,single-format-standard,ajax_fade,page_not_loaded,,select-theme-ver-3.8.1,wpb-js-composer js-comp-ver-5.1.1,vc_responsive
caminho

O Vício da Busca de Aprovação

Pensando nos vícios mais agressivos no cotidiano da nossa sociedade, as drogas lícitas e ilícitas se constituem em males destruidores de indivíduos, famílias e comunidades. No entanto, outros vícios com potencial destrutivo supostamente menor são ignorados, e um desses vícios é a dependência da busca de aprovação dos outros.

Com o mundo da informática disponibilizando informações, rompendo fronteiras, aproximando instituições e pessoas, a globalização da tecnologia da informação deu ferramentas para o indivíduo satisfazer seus desejos midiáticos primitivos de exibicionismo em busca de aceitação dos seus semelhantes, e a exposição e ostentação nas redes sociais é sem dúvidas uma espécie de clamor por aprovação dos outros. Assim, não é necessário se aprofundar em pesquisas cientificas para constatar que o vício da procura de aprovação é algo com o qual devamos nos preocupar e tratar. Penso que o único remédio para cura dessa inclinação doentia é voltar ao caminho que nos coloca andando ao lado daquele que se manteve firme no propósito de agradar somente ao Deus Eterno, Jesus Cristo.

Essa busca viciante por ser aceito pelos outros não é privilégio da nossa geração, a Bíblia Sagrada nos apresenta vários exemplos de pessoas que se desviaram ao olhar para os outros querendo aprovação. No livro “Eu Desisto! Pare de fingir que está tudo bem e mude de vida”, Geri e Peter Scazzero relacionam alguns exemplos de heróis bíblicos que manifestaram essa fraqueza e por isso se desviaram do caminho: Abraão mentiu sobre Sara para não correr riscos com o faraó (Gn 12.10-20; 20.1-18); Jacó consentiu com as mentiras de sua mãe (Gn 27); Rúben preferiu agradar a seus irmãos e concordou em agir contra José e enganar a seu pai Jacó (Gn 37.12-36); Arão cedeu à congregação impaciente e fez o bezerro de ouro para aplacar a ansiedade e ira do povo (Êx. 32); a fraqueza de Timóteo motivada pelo medo de desagradar a líderes da igreja de Éfeso quase deixou que a igreja fosse enganada pelos falsos mestres (1 Tm 1). Em todas essas situações, as consequências de olhar para os outros em busca de aprovação em vez de olhar para Deus foram desastrosas, para a própria pessoa, para o seu relacionamento com Deus e para as pessoas a quem amava.

O mesmo acontece conosco. Devemos amar e agradar a Deus acima de todas as coisas e de pessoas, pois Ele verdadeiramente nos ama e pagou alto preço pela nossa vida em Cristo, e a Ele cada um de nós dará conta de si mesmo. Em Atos 5.29b lemos: “Mais importa obedecer a Deus do que aos homens.” Sem prejuízo do texto, leia-se: “É mais importante ter a aprovação de Deus do que buscar a aceitação dos homens.” E quanto ao meu próximo? Devo amar primeiro a mim mesmo e usar desse amor próprio para fazer o bem aos outros de modo a agradar e glorificar a Deus.

Seu irmão, servo e pastor
Javan Ferreira
No Comments

Post a Comment

Ênfase 2018

“Aprender para Ensinar”

Divisa Bíblica

E as coisas que me ouviu dizer na presença de muitas testemunhas, confie a homens fiéis que sejam também capazes de ensinar a outros.2 Timóteo 2:2